Os 10 Melhores Filmes de 2019

Confira nossa seleção dos melhores filmes de 2019

O ano de 2019 está terminando amanhã e o GamePlay RJ elegeu as melhores produções do cinema do ano. Ainda poderiam entrar muito dos favoritos à premiações como O Irlandês, Dois Papas, Histórias de um casamento, A Vida Invisível, que recebem menções honrosas. Também rolaram outras produções bacanas como Shazam, Esquadrão 6, It: Capítulo 2, Seis vezes confusão, Predadores Assassinos, entre outros, que se não entram na lista dos melhores do ano, ganham menções pipoca por se destacarem em meio a tantos filmes lamentáveis que rolaram este ano. Alguns destes e outros que não entraram na lista porque com tanta oferta que temos no cinema, fora as produções originais dos serviços de streaming, infelizmente falta tempo para assistir tudo. Mas enfim, chegamos em 10 filmes que se você não assistiu, ainda dá tempo de conferir pois muitos já estão disponíveis. Confira a lista completa a seguir e os links para aqueles que fizemos a análise completa em nossa seção Assistimos:

10. Entre Facas e Segredos

Um elenco maravilhoso, um Rian Johnson sem o cabresto da Disney que teve em Star Wars, e uma história de mistério a la Agatha Christie. Uma fórmula simples, mas que nem sempre dá certo. No caso de Entre Facas e Segredos (Knives Out no original) funcionou perfeitamente. O longa foi indicado em três categorias no Globo de Ouro (confira a lista completa aqui): Melhor Filme de Comédia ou MusicalMelhor Atriz em Comédia ou Musical para Ana de Armas e Melhor Ator em Comédia ou Musical para Daniel Craig. Não somente isso, mas no finalzinho do ano, o espectador foi agraciado com um filme que diverte, surpreende, é diferenciado, e que só fica na décima posição pois seus concorrentes realmente foram páreo duro. O filme ainda se encontra em algumas salas do Brasil e vale a pena conferir. Confira nossa análise completa clicando aqui.

9. Midsommar – O Mal não espera a noite

Midsommar (com aquele clássico subtítulo idiota colocado no Brasil) foi criticado por muitos, mas sem dúvida cumpre o que se espera de um filme de terror: perturbação, mal estar e tensão. Infelizmente devido à crítica ou falta de interesse/espaço nas salas não chegou em muitos cinemas, mas vale a pena conferir. A premissa é bastante comum nos filmes de terror, um grupo de jovens turistas pouco inteligentes decide viajar para um vilarejo completamente isolado na Suécia. Lá eles se encontram com uma comunidade aparentemente pacífica que esconde segredos perturbadores, dentre eles uma seita macabra. Até aí, como eu disse não há novidades. Mas a execução do diretor e roteirista Ari Aster (de Hereditário) faz bonito. Uma protagonista que tem uma visão distorcida da realidade por uma condição mental, drogas, choque cultural, entre outras questões entregam uma mistura intensa, que não é para todos. A fotografia também é extremamente competente, além de muito gore que deixa o espectador completamente horrorizado ao fim da sessão. Infelizmente faltou tempo de escrever uma análise completa como um filme que tem uma simbologia e elementos complexos como esse, mas você pode conferir a análise sem spoilers do querido Otavio Ugá do canal Super Oito a seguir:

8. Ford vs Ferrari

O cinema estava carente de filmes com histórias sobre automobilismo decentes como Ford vs Ferrari. O filme ganhou algumas merecidas indicações às premiações de 2020 e sem dúvida foi uma grata surpresa. Estrelado por Matt Damon e Christian Bale que já mereceria à ida ao cinema, o filme entrega um roteiro que imprime a velocidade das pistas e dos apaixonados por ela de forma competente. A ambientação dos anos 60 é um show a parte, incluindo uma engenharia que por sua limitações tecnológicas tinha de ser criativa. Filmão com cara de Oscar, pleno, belo e completo. Confira nossa análise completa clicando aqui.

7. Nós

Outro terror com T maiuscúlo que merece uma posição na lista dos melhores do ano. Nós traz mais uma trama incrível tecida por Jordan Peele, que já levou o Oscar pelo roteiro de Corra! O filme começa como muitos outros do genêro: família saindo de férias de verão, chega em uma casa de veraneio para curtir as férias na praia. E a partir daí é só ladeira abaixo, ou acima, já que o filme mantém o espectador grudado na cadeira até o final. Um filme com muitas camadas de interpretação, um horror psicológico, além de temas sociais que tem sido explorados na obra de Peele. Sem dúvida um filme para saborear em meio à tantas produções lamentáveis do genêro de terror que inundaram as salas de cinema este ano. Confira nossa análise completa clicando aqui.

6. Era uma vez…em Hollywood

Um novo filme de Quentin Tarantino sempre gera expectativas. Facilmente um dos caras mais criativos da indústria cinematográfica, Tarantino nos entrega mais uma bela película cheia de sua paixão pelo cinema. E neste caso literalmente, já que a trama de Era uma vez…se passa na Hollywood do final dos anos 60. Protagonizado por Leonardo di Caprio e Brad Pitt que mais uma vez entregam atuações maravilhosas, o filme ainda tem Margott Robbie e outros ótimos atores como elenco de apoio. Destaque para a pequena Julia Butters que consegue ao menos chegar perto de di Caprio em uma das cenas mais incríveis do filme. A cereja do bolo é o easter egg ao inserir os assassinatos do culto de Charles Mason na trama de forma surpreendente. Tarantino sempre está cantando sua aposentadoria, mas esperamos que ele não pare tão cedo e nos entregue mais obras incríveis como esta. Confira nossa análise completa clicando aqui.

5. Turma da Mônica: Laços

A primeira incursão live action da turminha mais querida do Brasil sem dúvida merece um destaque entre os top 5 em nossa lista. Turma da Mônica: Laços adapta a graphic novel da excelente coleção Graphic MSP (leia mais sobre ela aqui). Mas além de ser somente uma adaptação, o competente Daniel Rezende emocionou mais de 2 milhões de pessoas em um filme sensível, divertido e belíssimo. Os quadrinhos que ajudaram a alfabetizar grande parte de nossa população ganharam um produto à altura de sua importância sendo facilmente um dos melhores filmes do ano. Confira nossa análise completa clicando aqui.

4. Vingadores: Ultimato

Fechando as idéias de 11 anos do Universo Cinematográfico da Marvel, Vingadores: Ultimato, levou o público à loucura este ano. Além da conclusão da saga de Thanos e das Jóias do Infinito, Vingadores traz o que todo fã de quadrinhos e do genêro de super heróis quer: uma trama sem enrolação, cenas de levar aos berros e todos os seus personagens favoritos em cenas de ação de tirar o fôlego. A música tema dos Vingadores, além de falas icônicas como “Avante Vingadores”, “Eu sou inevitável”, “Eu sou o Homem de Ferro”, dentre outras, vão permanecer na mente do público por muitos anos. Vingadores: Ultimato é o fim de uma era e prefiro permanecer cético de que a Marvel vai conseguir repetir o feito, mas já fica o mérito da criação não somente de filmes, mas de um evento da sétima arte. Confira nossa análise completa clicando aqui.

3. Coringa

Marvete de coração, jamais imaginei que Coringa ficaria com a medalha de bronze nos meus favoritos do ano. Mas medalha de bronze do filme protagonizado pelo vilão da DC Comics merece demais a posição. O filme da Warner Bros. Pictures traz Joaquin Phoenix brilhando como Arthur Fleck, um homem que tem uma vida bastante difícil, seja pela sua condição psicológica, seja pelo desprezo pela sociedade ou pelo dia a dia em sua luta pela sobrevivência. Muito além de uma mera adaptação dos quadrinhos, genêro que fica saturado a cada dia que passa, o longa de Todd Phillips traz o melhor do cinema de Hollywood na época em que se passa a trama. Mas os fãs de quadrinhos também ficarão satisfeitos em ver um dos maiores vilões representado em sua inúmeras facetas na telona. E torcidas uniformizadas à parte eu espero que outros criadores se inspirem e tragam filmes maravilhosos como este cada vez mais. Confira nossa análise completa clicando aqui.

2. Bacurau

Infelizmente em nosso país, o cinema nacional sofre um tremendo preconceito por nossa própria população que acaba colocando produções lamentáveis no “mesmo saco” que uma como Bacurau. E nem vou entrar no mérito político do pouco investimento em nossas produções. Felizmente existem apaixonados como Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles que lutam pela sobrevivência como os habitantes do pequeno vilarejo que é lugar comum em nosso Brasil. Mas não é lugar comum a condução maravilhosa que os criadores dão para o filme, com uma trama intensa, extremamente relevante e atual em uma arquitetura belíssima. Bacurau faz o que 90% das produções não conseguiram em 2019: fica em nossas mentes, leva à discussão e reflexão, além de nos encantar a cada minuto durante sua projeção.  Felizmente o reconhecimento veio tanto por aqui do público daqui que prestigiou o longa nos cinemas, bem como a maioria das premiações européias, incluindo Cannes. Confira nossa análise completa clicando aqui.

1. Parasita

É impossível analisar qualquer forma de arte sem o seu contexto social e político. Assim, não é por acaso que as três primeiras posições de nossa lista tragam a polarização e a luta de classes como temas em tramas e países bem diferentes. Parasita é classificado como suspense, mas tem horror, humor negro e crítica social de forma incrível. O mérito é do sul-coreano Bong Joon-ho que já entregou outras belas produções como Mother – A Busca pela Verdade, Expresso do Amanhã e Okja, sendo que os dois últimos estão disponíveis na Netflix. A trama de Parasita traz a a família de Kim Ki-taek (Song Kang Ho), que vive com a sua esposa Choong-sook e seus filhos Ki-woo (Choi Woo Shik) e Ki-jung (So-dam Park) num pequeno apartamento, situado no subsolo da cidade, em extrema pobreza. Quando Ki-woo começa a dar aulas particulares de inglês na mansão da família Park por indicação de um amigo, a família vê uma oportunidade de prosperar e começam a se infiltrar um a um na vida dos Park. A partir daí começa uma trama que tem plot twists surpreendentes, um ritmo que aumenta gradativamente e que entrega um final extremamente chocante. Mas os nossos seguidores que se chocam com sangue, violência gratuita ou estão cansados de filmes com jump scares forçados podem ficar tranquilos. Parasita é um filme a ser saboreado de forma lenta, gostosa, como se vê cada vez menos no cinema. Infelizmente não houve tempo de entregar um texto à altura de um filme maravilhoso como esse, mas deixo a análise de outro profissional que admiro muito, o querido PH Santos, em que ele analisa de forma incrível, mas sem spoilers, a nossa primeira posição:

Fiquem ligados para mais novidades sobre filmes, a qualquer momento, aqui no GamePlay RJ.

Comentários

comentários