Rosa de Versalhes: o novo mangá da JBC

A JBC anunciou ontem o lançamento de Rosa de Versalhes. Confira com a gente um pouco mais sobre ele

A JBC anunciou ontem em seu canal do YouTube, Henshin Online, o seu novo título. Inédito no Brasil, Rosa de Versalhes foi produzido na década de 70, época em que iniciavam as reivindicações pelos direitos das mulheres e estavam em evidência no mundo todo. Com temas que trazem à tona questões sobre gênero, senso de justiça, direitos humanos e momentos históricos reais, a autora Riyoko Ikeda revolucionou a forma de se fazer mangá para o público feminino abrindo caminho e influenciando uma nova geração de mangakás dos mais diversos segmentos. Aliás, parabéns a JBC pela grande sacada de fazer o anúncio na semana do Dia Internacional da Mulher e um vídeo somente com as mulheres da equipe da editora. A trama é centrada em duas mulheres fortes: a primeira é Oscar François de Jarjayes, uma menina que foi criada como homem, e que se transformou em uma grande líder e foi responsável por diversos feitos. Lady Oscar, como é conhecida internacionalmente, mostra-se independente e respeitada por todos, sendo referência para as mulheres por sua força e destreza. A outra é a controversa Maria Antonieta, que acaba de ser prometida em casamento ao futuro rei da França. Rosa de Versalhes ainda abre espaço para discussões sobre gênero e tem passagens baseadas em fatos históricos reais, próximos à Revolução Francesa ocorrida no século XVIII. O mangá saiu originalmente na revista Margaret e depois encadernado em 10 volumes. Também rendeu um anime com 40 episódios, o OVA The Rose and Women of Versaillese, além do longa metragem The Rose of Versailles: I’ll Love You As Long As I Live, todos na década de 80. Por aqui o mangá será lançado em 5 edições no formato Big, que a editora já utilizou em Eden, Blade – A lâmina do imortal e Battle Angel Alita. Um anúncio muito bacana que deve agradar ao fãs do gênero shojo, fãs de mangás de vanguarda ou aqueles que querem sair com o arroz com feijão que inundam as bancas e livrarias. Confira a sinopse completa, os personagens e mais um pouco sobre a autora a seguir. A editora pretende lançar o título ainda neste semestre e deve divulgar mais informações em breve. Fique ligado no GamePlay RJ para mais novidades

A história:
Em meados do século XVIII, na França, o renomado General Jarjayes recebe a notícia que será pai da sexta filha. Aflito por não conseguir ter um filho para manter o nome e o prestígio da família, decide criá-la como menino, visto que nesse período somente homens podiam suceder o cargo. Lady Oscar frequenta o colégio militar onde destaca-se, alcançando o título de capitã da Guarda Real. Como seu cargo é de confiança, fica sob sua responsabilidade zelar pela proteção da Rainha Maria AntonietaApós o tratado de paz entre a Áustria e a França, quando Maria Antonieta se casa com o Príncipe Luís XVI. Oscar passa a maior parte do tempo no Palácio de Versalhes. Ela acompanha de perto com André, seu melhor amigo (que é apaixonado secretamente por ela), o cinismo, as festas luxuosas e o estilo de vida da Corte Real.

Personagens:
Lady Oscar é criada como menino por seu pai e adquiriu diversas habilidades enquanto estudava na escola militar, dentre elas a esgrima. É dotada de muita educação e tem vasto conhecimento no mundo das artes. Enfrenta o mundo masculino machista dos soldados e capitães, mas não desiste de seu objetivo, e consegue unir-se à guarda real do Rei Luís XVI. 

Maria Antonieta enfrenta uma mudança radical em sua vida quando está prestes a se casar com o Rei Luís XVI. Abre mão de sua liberdade, cultura e seu nome, para encarar a dura etiqueta francesa e a adaptação em um país estranho. E é por isso que Oscar entra em sua vida. Como chefe da guarda real, ela terá a responsabilidade de a futura rainha.

André Grandier é o melhor amigo de Oscar. Ambos estudaram juntos e criaram laços fortes desde a infância. André tem uma paixão secreta por ela, mas aparentemente impossível.

A autora:
Natural de Osaka, Riyoko Ikeda é uma autora de mangás que se tornou referência em mangás shojo​. Entre os seus títulos publicados, Ikeda apresenta cenários com entornos históricos como a Revolução Francesa e a Russa, tendo o título Rosa de Versalhes como grande sucesso de sua carreira. Seu gosto particular por essa linha de literatura se deu a partir de leituras do romancista Stefan Zweig, autor de “Maria Antonieta – Retrato de uma Personagem Central (1932)’’despertando o interesse pela personagem e que serviu de inspiração para Rosa de Versalhes. Sua influência foi tamanha que, em 2008, a autora recebeu a Ordre National dela Légion d’honneur​, na França, uma honraria por sua contribuição de conhecimento da história francesa no Japão. Para Ikeda, a história relatada mudou a percepção do gênero shojo​, que não era bem visto, até então, pela editora que publicou o mangá. No fim, Rosa de Versalhes teve grande prestígio não só no Japão, como no mundo todo, e acabou abrindo espaço no mercado para outras obras do gênero.

Felipe

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários