Lemos | Thor: Vikings da Panini

Gostou de Thor Ragnarok? E da série de TV Vikings? E de zumbis? Confira com a gente essa hq da Panini que reúne tudo isso e muito mais

Garth Ennis é um roteirista consagrado dos quadrinhos. Mas não é qualquer um que goste de seu estilo. O roteirista criou um estilo próprio em que a maioria de suas obras tem seguido uma fórmula: violência, ação e um texto fácil e divertido. Exceto talvez por Preacher, que é sua obra prima não só dele, mas dos quadrinhos em geral, na minha opinião. Em Thor: Vikings, a primeira incursão do autor do deus do trovão o resultado segue esta fórmula, porém com um gostinho de algo a mais. Lançado no EUA em 2003 sob o selo Max que a Marvel Comics criou voltado para o público adulto, a minissérie já havia saído por aqui no Brasil na Marvel Max, em 2004 nos números 14 à 18. Agora a mesma Panini que trouxe a extinta Marvel Max compilou a mini em formato de luxo.

A história começa com o viking Harald (título equivalente a rei ou líder viking) Jaekelsson após mais uma de suas varias conquistas, decide conquistar o Novo Mundo. Porém, o sábio da vila recém conquistada amaldiçoa o conquistador  e seu povo com um feitiço, dizendo que ainda que velejem mil anos não alcançarão a terra que desejam. O tempo passa e estamos em nossos dias, séculos e séculos depois Jaekelsson e sua tripulação chegam a Nova York. Após uma tentativa fracassada de Thor de parar os agora zumbis desfigurados pelo tempo, o deus do trovão terá que buscar ajuda mística para derrotar o bando. E aí temos um team up com um certo Mago Supremo da Marvel (muito divertido na história, lembrando bastante a versão de Benedict Cumberbatch. A partir daí, o que era uma história relativamente simples toma um rumo interessante e dizer mais seria estragar a diversão do leitor. A arte de Glenn Fabry combina com o estilo violento de Garth Ennis. Ele já havia feito as capas da sua obra prima Preacher e no arco do autor em HellBlazer, sendo que ambos já chegaram pela Panini. Também trabalhou em hqs consagradas como Lugar Nenhum, baseada na obra de Neil Gaiman, entre outras. O artista é competente ao retratar a anatomia humana, requisito necessário onde há corpos (ou pedaços) voando o tempo todo. A edição da Panini em papel couché e capa dura, é melhor do que a versão anterior das Marvel Max (em papel pisa brite), mas para por ai. Nenhum extra, sequer um esboço foi acrescentado, trazendo somente as capas originais. Uma pena para os fãs do autor, mas para quem gosta de tudo o que já disse e deseja ler uma história do Thor divertida, com toques de mitologia nórdica e com bastante ação é uma ótima pedida. E sem dúvida uma edição memorável e única do Deus do Trovão para você guardar na sua estante. Segue abaixo uma arte original do artista para a edição. Clique aqui para comprar a sua edição pela Loja Panini. Agradecemos a Panini pelo envio da edição para apreciação.

 

 

Felipe

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários