Kabum é Campeã da Primeira Etapa do CBLoL 2018

Repetindo a campanha heróica de 2014, a Kabum veio do Circuito Desafiante e conquistou o CBLoL. A equipe vai representar o Brasil no MSI, na Europa.

A Primeira Etapa do CBLoL não poderia ter um desfecho melhor. O quinteto do Exódia enfrentou a Kabum, que vinha como uma grande força na fase de pontos. Os maiores vencedores do CBLoL contra uma equipe reformulada, reestruturada, e com um distante sonho de vencer o CBLoL. Ou não tão distante assim.

 

Jogo 1

A Coragem de um Titã. Pela primeira vez os jogadores da Kabum estavam em uma final de CBLoL, e o que muitos consideraram o ponto fraco da equipe, a inexperiência, se transformou em uma leveza na hora de jogar. E falando de leveza, é quase obrigatório ressaltar tudo o que o jovem Titan fez nesse jogo. Com seu Ezreal, ele zombou mecanicamente do time da Keyd. Se a Translocação Arcana do campeão (E) é uma habilidade defensiva, Titan mostrou que a defesa é o melhor ataque. Esguio e intocável, ele conseguia criar espaços durante todo o jogo, se posicionando de maneira inteligente para acertar seus disparos místicos contra a backline.

Nem a Keyd nem nenhum espectador conseguiu entender o jogo da Kabum, que girava entorno do Ezreal. Perseguindo os adversários e criando jogadas, os alaranjados se mostraram muito dominantes, e sem muita dificuldade fecharam o jogo, abrindo a série e ficando a 2 jogos do campeonato.

 

Jogo 2

O poder da experiência. A série estava apenas começando, mas a Keyd precisava parar o ímpeto dos novatos da Kabum. A Keyd começou o jogo com um plano de jogo mais simples de ser executado, enquanto a Kabum trazia uma Jinx nas mãos de Titan. Um pick arriscado, ainda mais contra um Skarner e um Alistar. Não deu outra, antes dos 5 minutos Revolta e Jockster fizeram uma jogada coordenada para abater o jovem Atirador, e começar a construir uma vantagem para Micao.

Não havia muito que a Kabum pudesse fazer. Se o plano de jogo era deixar Titan forte, ele havia ido por água abaixo. Micao tinha mais de 2k de Gold na frente, e sua Caitlyn estava fazendo valer o nome de Hyper Carry. Mesmo forçando boas jogadas, os alaranjados não conseguiram segurar a Keyd, que vinha acelerada e determinada a empatar a série.

 

Jogo 3

Consistência, simplicidade e paciência. Era apenas disso que a Kabum precisava. Com o jogo empatado, a equipe que desempatasse a série ganharia uma confiança muito grande, e a Kabum precisava dessa confiança. Titan estava com um ADCarry mais seguro, a Caitlyn, e Dynquedo com sua Talyah. O plano dos alaranjados era simples, assim como foi o dos guerreiros no segundo jogo. E a simplicidade havia sido a arma da série, até então.

O diferencial da composição foi a escolha de Ranger. Vindo com um Nocturne, o caçador tinha um potencial de explodir o ADCarry inimigo muito rapidamente e mudar o rumo de qualquer luta. Apesar de um bom início, a Keyd conseguiu responder com boas chamadas de Barão, mas o clearwave da Kabum era muito grande, e os guerreiros não conseguiram fechar a partida. A Kabum contou com atuações brilhantes de Dynquedo e Ryiev, para executarem com perfeição a luta que lhes daria o Barão, a vantagem e a vitória na partida.

 

Jogo 4

O assassino de mil abates. Os guerreiros do Vivo Keyd já haviam mostrado que sabem jogar em desvantagem. Considerados um dos maiores elencos do LoL brasileiro, os jogadores do Exódia estavam atrás na série, mas se sentiam muito confortáveis com isso. Para muitos, são nessas ocasiões que o time fica mais forte e inventivo. Se não bastasse o histórico positivo, haviam mais números favoráveis à equipe. Micao havia acabado de somar 993 abates em sua carreira, e se, conseguisse pelo menos 7 abates, seria o primeiro jogador brasileiro à alcançar 1000 abates em ligas oficiais. E ele conseguiu muito mais do que isso.

Jinx nas mãos de Micao. Alguns lembrariam do fantasma do posicionamento no International WildCard contra a Hard Randon. Alguns se lembrariam dos mais de 2 Quadrakills que Micao já fez com a campeã. O time da Keyd apenas precisava ganhar vantagem para o atirador e 50% da vitória já estava garantida. E foi o que fizeram. Forçando a rota inferior e em pequenas lutas, Micao começou a conseguir abates atrás de abates, chegando no 6º abate. Faltava 1 abate para o de número 1000, mas o atirador da Keyd não parou por ai. Depois de mais 11 abates, terminando com 17 eliminações, a Keyd atropelou a Kabum, não dando chances para a equipe desafiante, e empatando a série, levando-a para o 5º e último jogo.

 

Jogo 5

O (novo) campeão voltou. Com a série empatada, toda a vantagem estava a favor da Keyd. Mais experientes, mais calmos, considerados por alguns os favoritos para a série. Os guerreiros do Exódia tinham tudo para fazer valer o favoritismo e conquistar o campeonato. Mas a equipe da Kabum estava disposta a morrer lutando.

A hora de guardar estratégias já havia passado. Zoe nas mãos de Dynquedo e mais uma vez, Ezreal nas mãos de Titan. Os alaranjados apostaram todas as suas fichas em um power spike cedo no jogo, e contavam com o brilhantismo dos seus carregadores para subverter os maiores campeões do LoL brasileiro. Para se tornar os melhores, eles tinham de bater os melhores. E assim fizeram.

O Ezreal de Titan não é só mais do mesmo. A forma extremamente agressiva de jogar do Atirador de 17 anos criou espaços para seu time fazer jogadas e pick offs importantes. Uma lentidão com um disparo místico podia significar um combo da Zoe e em 1 segundo o adversário não existia mais. O posicionamento impecável e inteligente de Titan fazia com que a Keyd tivesse que se preocupar com 2 frentes de dano vindo de longe. Isso fazia com que as Team Fights fossem muito mais difíceis de executar para o lado dos guerreiros, e a Kabum apenas tinha que continuar minando as defesas do adversário. Depois de algumas lutas, a Kabum entrava para fechar a partida, a série e conquistar o seu segundo título de CBLoL.

O Campeão voltou, mas completamente reestruturado, renovado e rejuvenescido. É possível sim traçar paralelos entre a Kabum de 2014 e a de 2018, sendo extremamente posta para baixo, superando todas as expectativas, derrotando coreanos. Mas esse é um outro time, uma outra geração de jogadores com um sonho mais alto. Em 2014, chegar ao Mundial era o maior feito da equipe. Agora, classificados para o MSI, os jogadores da Kabum enfrentarão as melhores equipes do mundo, e representarão o Brasil no campeonato de meio de ano.

A Kabum e-Sports provou que está sim reestruturada, e que é a melhor equipe do Brasil, e mostrou a que nível irá representar o país. De provável rebaixada à Campeã da Primeira Etapa do CBLoL 2018. E com muita história para ser contada ainda.

Na internet, Kcanibu é um youtuber, gamer e editor de vídeo apaixonado por tudo que envolva efeitos especiais e muito CGI. Fora da internet, Miguel cursa jornalismo na faculdade, lê todo e qualquer livro que apareça em sua estante e gasta as poucas horas que sobram vendo filmes e séries, e tentando escrever algo que preste.

Comentários

comentários