HABILIDADE NOS GAMES TÊM EXTREMA LIGAÇÃO COM INTELIGÊNCIA

E ainda dizem que os games são prejudicais a saúde.

Há quem diga que games são prejudiciais para a saúde ou intelecto, que os jogos alienam e não promovem nada de produtivo. No entanto, uma pesquisa da Universidade de Iorque, no Reino Unido, revela o contrário.

Pesquisadores da instituição de ensino europeia descobriram uma conexão entre a grande capacidade de jovens em certos games e altos níveis de inteligência.

Segundo estudos que aconteceram nos Laboratórios de Criatividade Digital (DC Labs) em Iorque, alguns jogos de estratégia podem servir até como testes de QI.

Os mais jogados

Os departamentos de psicologia e ciências da computação da Universidade de Iorque conduziram dois estudos: um examinando jogadores de MOBA (Multiplayer Online Battle Arena) e outro com jogadores de FPS (First Person Shooters).

Com os jogadores de League of Legends e Dota 2 (MOBAs), foi estabelecida uma relação entre a performance com o jogo de estratégia e testes tradicionais com papel e caneta.

No estudo, foram testados milhares de jogadores, chegando à conclusão de que o QI e performance dos players tende a permanecer constante com a idade, se for mantida uma rotina de jogo – quase como um exercício.

Já com os jogadores de Destiny e Battlefield (FPS), a conclusão foi um pouco diferente: após análise de dados, foi determinado que a performance dos jogadores tende a diminuir conforme eles envelhecem.

Os pesquisadores dizem que a ligação entre a habilidade em jogos de ação/estratégia e um alto QI é similar à relação como jogos de estratégia tradicionais.

“Pesquisas no passado apontavam que pessoas que praticam jogos como o xadrez, que envolve estratégia, tendem a ter maior QI. Nossa pesquisa estendeu tudo isso para os games, que milhões de pessoas jogam pelo mundo todo dia”, afirma Alex Wade, um dos professores autores do material.

Concluindo

A descoberta dessa correlação entre habilidade e inteligência abre um novo leque de possibilidades. “Os próximos testes a serem feitos podem envolver o campo da epidemia cognitiva, pesquisas que associam inteligência com saúde”, comenta o professor.

“Essa pesquisa tem potencial de impactar muito o futuro dos games e indústrias”, afirma o co-autor Peter Cowling, diretor da DC Labs.

O material e resultados completos da pesquisa estão disponíveis no site da University of York, na revista eletrônica PLOS ONE e no site da DC Labs.

 

Fonte Versus

 

 

Zero

Arquiteto meio frustrado, streamer, youtuber, editor de vídeos, gamer e nerd em tempo integral, Ricardo, conhecido como Zero, sempre foi apaixonado por Star Wars, séries, games e tecnologia. Também adora compartilhar no GameplayRJ seus achados e curiosidades sobre o mundo dos games.

Comentários

comentários