Disney não é uma ameaça, alega Netflix

“Nós não o vemos como uma ameaça para nós maior do que a Hulu tem sido”, afirma o CEO da Netflix.

Em 2017 a Disney anunciou seus planos de lançar um serviço por assinatura de vídeo da marca para 2019, pretendendo inclusive investir em produções exclusivas para o mesmo.

Sendo assim, a empresa não renovou seu acordo de distribuição com a Netflix, fazendo com que seus novos lançamentos não estejam disponíveis na plataforma, e que os já existentes sejam removidos gradativamente até o final de 2019.

Reed Hastings, CEO da Netflix, disse que a empresa não sentirá muita falta dos filmes da Disney desaparecendo da plataforma, uma vez que o público que mais abrangem é majoritariamente dos Estados Unidos. Hastings acrescenta que deseja que o novo serviço da Disney seja muito bem-sucedido e admite que ele mesmo será um assinante.

“Se pudermos rentabilizar o conteúdo muito bem, as pessoas nos venderão porque podemos pagar”, acrescentou. Hastings argumentou ainda que esse era um dos motivos para a empresa ganhar cada vez mais acordos diretos com produtores e diretores, e conseguir novos títulos não é um problema.

O novo serviço, ainda sem nome, contará com lançamentos exclusivos incluindo Toy Story 4, o live-action de Rei Leão e a sequência de Frozen. A empresa ainda não definiu a distribuição do que diz respeito aos estúdios Marvel Entertainment e Lucasfilm.

Stéfanie

Uma jornalista em formação de 19 anos que constantemente viaja no tempo-espaço. Pesquisadora das diversas nuances da cultura nerd e do universo gamer. Cozinha e joga RPG nas horas vagas.

Comentários

comentários