Black Label: O novo selo da DC

A DC anunciou uma nova linha de quadrinhos apresentando grandes nomes da indústria. Mas será que isso é novidade?

A DC comics anunciou hoje o selo Black Label, que trará grandes nomes dos quadrinhos em “histórias fechadas inovadoras e provocantes”. Para quem já acompanha os quadrinhos faz tempo, isto não é novidade. A linha All Star (Batizada de Grandes Astros por aqui) apresentou o mesmo conceito de 2005 à 2008 com times de peso em histórias inéditas. Foram dois grandes títulos: All Star Superman com Grant Morrison no roteiro e Frank Quietly na arte (para mim a melhor história do Superman) e All Star Batman & Robin  com Frank Miller no roteiro e Jim Lee na arte. Ambas foram lançadas por aqui pela Panini e você ainda encontra a do Superman em edição encadernada de luxo em grandes livrarias como Amazon (clique aqui). A do Batman e Robin é mais difícil pois só foi publicada na forma de minissérie em 10 edições e talvez só nos sebos. Foram anunciadas as versões All Star da Mulher Maravilha e Batgirl, mas estas ficaram no papel. O selo recomeçou em 2016 com Scott Snyder no roteiro e John Romita Jr. na arte em All Star Batman que vem sendo publicado por aqui pela Panini também.

Outra iniciativa recente é a Earth One (Terra Um por aqui) que traz recounts/remakes dos personagens principais da editora com equipes criativas prestigiadas. O selo começou em 2010 com Earth One: Superman com roteiro de J. Michael Straczynski e arte de Shane Davis. Depois veio a vez de Earth One: Batman com roteiro de Geoff Johns e arte de Gary Frank. Na sequência vieram o segundo volume de Earth One: Superman em 2012; Earth One: Teen Titans em 2014 com roteiro de Jeff Lemire e arte por Terry Dodson; o segundo volume de Earth One: Batman em 2015 e Earth One: Wonder Woman com roteiro de Grant Morrison e arte de Yanick Paquette. Ufa, é muita coisa né. Exceto a dos Novos Titãs todos chegaram por aqui pela Panini.

Além destas iniciativas mais recentes a DC já faz isso desde 1989 no selo Elseworlds, além de histórias em universos alternativos desde sempre como já apresentamos um pouco aqui. E por que estou falando tudo isso para vocês? Porque hoje vi a notícia do Black Label ser apresentada à exaustão nos sites por aí, como se fosse uma iniciativa inédita, sensacional, mas ninguém destaca que isto já foi feito antes, tanto pela DC, quanto pela rival Marvel. Ainda que a editora esteja prometendo histórias mantendo a tradição de A Piada Mortal, DC: A Nova Fronteira e Watchmen, vale dar uma olhada neste histórico que trouxe para vocês e ficar de olho aberto. Não acho que vão vir clássicos instantâneos por aí, mesmo porque por mais que os roteiristas inovem, sempre acaba voltando nos velhos moldes do Superman, alienígena de Kripton; no Batman, orfão que se torna vigilante e Mulher Maravilha, embaixadora da Ilha Paraíso…Mas espero que queime minha língua. Eu quero mais é ver grandes histórias e cada vez mais. Enquanto aguardamos seguem as sinopses oficiais, os times criativos e alguns teasers apresentados pela editora. Para mais novidades fiquem ligados aqui no GamePlay RJ.

SUPERMAN: YEAR ONE de Frank Miller e John Romita Jr. – Uma tratamento inovador e definitivo da história clássica de origem do Superman em homenagem ao seu octagésimo aniversário (80 anos? Como assim? Clica aqui e veja o que falamos sobre isso). A história traz novas revelações que redefinirão os momentos mais clássicos do Homem de Aço, da infância de Clark Kent no Kansas para a sua inevitável ascensão para se tornar o mais poderoso e inspirador super herói de todos os tempos.

BATMAN: LAST KNIGHT ON EARTH de Scott Snyder e Greg Capullo, o time criativo por trás de DARK KNIGHTS: METAL, ainda inédita por aqui, mas que já falamos na nossa coluna semanal Na gringa (não conhece? corre em nosso arquivo de quadrinhos clicando aqui e fique por dentro das novidades de hqs lá fora. Batman acorda em um deserto. Ele não sabe que ano é ou como a cabeça do Coringa foi parar em um vaso ao seu lado, mas é o começo de uma busca nunca encarada pelo Cavaleiro das Trevas. Em um futuro estranho, os vilões triunfam e a sociedade se libertou do fardo de códigos éticos. Lutando para sobreviver enquanto procura por respostas, Bruce Wayne descobre a verdade de seu papel neste novo mundo e começa a última história do Batman a ser contada.

BATMAN: DAMNED de Brian Azzarello e Lee Bermejo, a equipe criativa de Coringa, que já saiu por aqui e é considerada uma das melhores histórias do personagem por muitos. Em uma ponte deserta em Gotham City, um corpo é encontrado. Sussurros espalham a notícia: o Coringa está morto. Mas este é um sonho que se realiza ou o início de um pesadelo? Agora Batman e o mágico fora da lei da DC John Constantine devem procurar a verdade em uma Gotham City infernal. O clima sobrenatural da cidade dá dicas sobre a identidade do assassino, mas a descida do Cavaleiro das Trevas neste horror irá testar sua sanidade e os limites da racionalidade, enquanto ele encara um horror que não veste uma máscara.

WONDER WOMAN HISTORIA: THE AMAZONS de Kelly Sue DeConnick e Phil Jimenez. Uma jornada homérica da história perdida das Amazonas e da ascensão da Rainha Hipólita ao poder. Apresentando monstros e mitos, essa saga em 3 volumes expande a história da criação das Amazonas até o momento em que Steve Trevor aparece nas margens da Ilha Paraíso mudando nosso mundo completamente.

WONDER WOMAN: DIANA’S DAUGHTER (título provisório) de Greg Rucka, que já trabalhou com a personagem. Faz 20 anos desde que o mundo parou de procurar os céus por esperança, ajuda e inspiração. Agora o mundo mantém seus olhos para baixo, e os poderes que ascenderam tem todas intenções de deixar as coisas desta maneira. Entre uma resistência quebrada e espalhada, uma jovem mulher busca reclamar o que foi esquecido, e em seu caminho irá aprender a verdade sobre ela, sua origem e seu destino.

THE OTHER HISTORY OF THE DC UNIVERSE de John Ridley (autor do livro de 12 anos de Escravidão). Uma série literária convincente, analisando os momentos icônicos da DC e listando ganhos sócio-políticos atráves das perspectivas dos super heróis da DC que vem de grupos tradicionalmente isolados, como John Stewart, Extraño, Vixen, Supergirl, Katana e Rene Montoya, entre outros. Em seu núcleo, a história foca nas vidas daqueles por trás dos uniformes e seus esforços para vencer problemas da vida real. Não é sobre salvar o mundo, é sobre ter a força de ser simplesmente quem você é.

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários