Assistimos | Yesterday

Confira nossa análise completa sobre a estreia da semana

Yesterday, do diretor Danny Boyle (Extermínio, Quem quer ser um Milionário, 127 horas) estreou esta semana nos cinemas brasileiros. O filme traz uma bela visão sobre sonhos, sociedade e a indústria da música. A história traz o cantor Jack (Himesh Patel) e sua amiga de infância, Ellie (Lily James), batalhando para realizar o sonho de viver pela música. É quando após um misterioso blackout mundial, Jack é atropelado por um ônibus e ao acordar, se encontra em uma estranha realidade, onde ele é a única pessoa que lembra dos Beatles e de suas canções. Aproveitando-se do seu insucesso, ele aproveita-se da oportunidade para se tornar um astro. Começo minha análise dizendo que após assistir os trailers, tirando o fato da trilha sonora dos Beatles, o longa não me chamou muita atenção. No entanto, o fato é que Yesterday traz muito mais que uma história recorrente nos cinemas de alteração de realidade com fundo romântico. Um dos pontos interessantes é a influência da música em nossa sociedade. O mundo sem os Beatles foi alterado em outros aspectos além da música e isso gera no roteiro algumas situações inusitadas que por volta se direcionam para a comédia e em outras de forma mais chocantes. Também é marcante a crítica à indústria da música. O desgaste pessoal e criativo dos artistas, o consumo de música como se fosse algo descartável e todo o impacto da fama sobre uma pessoa comum. Ainda falando em consumismo, em alguns momentos a crítica se direciona à nossa sociedade, na forma como tudo é descartável, além do panorama social e sua relação com a música de cada época. Mas não pense que é um filme de arte, densos, de difícil digestão. A história é conduzida de forma leve por Danny Boyle, com um fundo romântico bem humorado, mas sem exagerar no tom. A química entre Patel e James, desajeitados natos funciona naturalmente. E claro, o mérito da trilha sonora é a cereja do bolo do filme. Mas as músicas dos Beatles não são usadas somente como plot da história, mas as suas letras são adequadas as situações do momento. Uma pena que não foram colocadas legendas, pois quem não tem o conhecimento da língua inglesa perde esta sutileza. Além do casal protagonista, vale destacar a participação de Ed Sheeran. Ed que interpreta a si mesmo no filme, traz alguns artifícios para o roteiro, além dos créditos em pequenos momentos na trilha sonora. E ao contrário de algumas participações recorrentes e curtas de músicos em filmes, ele traz um tom bem humorado, ao mesmo tempo  que contribui na construção da história. A direção de Boyle funciona, hora em cenas mais intimistas, hora nas multidões atraídas pelas apresentações de Jack. E é isso. Dizer mais seria estragar a experiência de nosso seguidor. Encerro dizendo que se você busca algo leve, mas bem construído, para assistir no final de semana esta é sua escolha. E fiquem ligados para mais novidades sobre filmes, a qualquer momento, aqui no GamePlay RJ.

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários