ASSISTIMOS | VIVA – A VIDA É UMA FESTA

A Disney geralmente contem uma importante lição de moral em seus filmes, e em Viva podemos ver uma rica textura emocional, ensinando uma audiencia mais jovem sobre a morte sem empregar mão pesada. Em Viva a ultima colaboração do estudio Disney com a Pixar os mortos nunca estiveram tão presente, literalmente.


Viva – A Vida é uma Festa conta a história de Miguel, que sonha em se tornar um grande músico como seu ídolo, Ernesto de La Cruz, o garoto segue seu sonho treinando escondido no porão da casa em que vive. Ao pegar emprestado o violão de De La Cruz no cemitério da cidade, Miguel é enviado para o mundo dos mortos e precisa encontrar seu ídolo para voltar à vida, ao mesmo tempo que tenta provar seus talentos musicais.

Como com alguns dos outros filmes originais da Pixar, como Inside Out e Wall-E, há um universo complexo para configurar, e nos primeiros 15 minutos de Viva, somos bombardeados com cores, informações e uma cultura totalmente nova. Não tem como não se encantar, o filme da um conforto familiar, nos mostrando que não existe nada mais importante que permanecer perto de sua família.

A Terra dos Mortos é um dos mundos mais visivelmente ambiciosos da Pixar, com uma visão que é de tirar o folego e com ambientes bem iluminados, não tem como não admirar o filme enquanto assistimos. O enredo de Viva promete uma série de musicas cativantes, e com toda certeza muitas delas tem um grande potencial para ser consideradas como as musicas queridinhas da Disney.

Depois de Moana e Rainha de Katwe do ano anterior, é o ulltimo capitulo da campanha do estudio para trazer mais diversidade ao seu catalogo e usar um elenco exclusivamente latino, chegando a um publico tão grande e diversificado, não tem como não sentirmos que esse é um grande passo.

Viva é um retorno estimulante, afetuoso, divertido e muito necessário, ajudando a garantir que o legado da Pixar e Disney permaneçam intactos.

Mariana Pupo
Uma fotógrafa apaixonada por quadrinhos, filmes e séries. Também adora escrever e debater sobre os temas.

Comentários

comentários