Assistimos | Vingadores: Ultimato

Confira nossa análise completa do novo filme da Marvel/Disney

Depois de 11 anos e 21 filmes, finalmente chegou a hora de conferir Vingadores: Ultimato, o 22° longa da MCU (Universo Cinematográfico da Marvel). E já começo minha análise avisando que sim, teremos alguns spoilers sobre o filme. Portanto, se você não quer saber absolutamente nada, vá ver o filme tranquilo e depois volte aqui. Mas vamos a sinopse oficial:

“As consequências devastadoras dos atos de Thanos, que dizimaram metade das criaturas do universo e destruíram os Vingadores, leva os heróis remanescentes a tomarem uma atitude final na grande conclusão da sequência de vinte e dois filmes da Marvel Studios”

Já começo minha análise dizendo que o filme por si só é auto contido, mas no mínimo você tem que ter assistido Vingadores: Guerra Infinita, pois o filme é uma sequência dos acontecimentos iniciados por lá, além de outros filmes importantes (clique aqui para ver uma lista completa). Mais especificamente, 23 dias depois após os acontecimentos de Guerra Infinita. Na verdade, o filme congrega todos os filmes do MCU e quem já vem acompanhando essa longa jornada de 11 anos, sem dúvida vai ver que temos o começo e o fim unidos de forma perfeita ao terminar de assistir o novo longa. Ultimato realiza o sonho dos fãs do MCU e também dos fãs de quadrinhos como eu. Acho que a construção do universo iniciada em 2008 com Homem de Ferro foi justificada de vez nesse filme, incluindo citações ao próprio filme, e fechando um ciclo de forma perfeita. Outro aviso importante é que não há cenas pós créditos, porque justamente trata-se de uma conclusão de um ciclo e talvez o início de algo totalmente novo. Finalmente os heróis venceram um dos piores vilões criados para o cinema, Thanos, e ao final da sessão, temos o fim de alguns personagens e também o início de uma nova fase. Em relação aos atores eles continuam incríveis bem a vontade em seus papéis. É difícil destacar somente um deles. Todos os Vingadores, literalmente todos, e os coadjuvantes de cada um deles tem sua importância. Claro, alguns acabam sendo ressaltados como Homem de Ferro e Capitão América, que tem um grande destaque na trama. Afinal os dois grandes Vingadores estavam com a amizade rompida desde Guerra Civil e essa separação foi um dos motivos que levou a derrota dos heróis em Guerra Infinita. Também temos uma conclusão que vai tirar lágrimas de muito marmanjo para os dois grandes ícones dos Vingadores ao final do filme. O Gavião Arqueiro compensou sua ausência em Guerra Infinita tendo grande destaque desta vez. A sua nova identidade como Ronin é mais do que um traje. O filme já começa mostrando que a sua família foi toda apagada, o que levou Clint Barton a eliminar todos os vilões que restaram na terra, recorrendo inclusive à violência. E aí não faria mais sentido ele manter sua identidade anterior, pois ele se tornou outra pessoa. Também é interessante citar, para quem não acompanha as hqs, que o personagem surge justamente após os eventos da Guerra Civil e passa a fazer parte dos Novos Vingadores, ambos já publicados por aqui pela Panini. E ronin é um guerreiro samurai sem mestre, solitário, o que casa perfeitamente com a situação do filme. O Hulk que ficou meio de lado no primeiro filme, aqui volta com tudo, pois ele entra em um equilíbrio perfeito com o Dr. Banner. Aqui temos um Hulk consciente e inteligente, que também faz referências as hqs, pois esse era o Hulk da época do Desafio Infinito (veja aqui uma seleção desta e outras histórias de Thanos), que é uma das fontes para o filme. E quem amou Brie Larson como Capitã Marvel, aqui a atriz volta a brilhar. E os Irmãos Russo, que diga-se de passagem, foram uma das melhores escolhas da Marvel nesses filmes, dosaram bem a sua participação. Vale lembrar que ela é muito poderosa e se ela fosse utilizada todo o tempo levaria um desequilíbrio de poder. Mas não se engane, pois ela tem uma participação muito importante. As brincadeiras do “plano” do Homem Formiga na internet entrando no ânus de Thanos para vence-lo, logicamente não foram concretizadas, mas Scott Lang é um dos principais responsáveis do verdadeiro plano para derrotar o vilão. E por falar nesse plano, a sacada da viagem no tempo e revisitar os filmes, além de homenagear os 11 anos de história do MCU, trouxe uma grande surpresa e dinamismo no roteiro. Também criou situações muito bacanas, como os personagens encontrando a si mesmos em diferentes tempos, cenas em angulos nunca vistos antes. E claro, mostra, mais uma vez que viagem no tempo não é uma ciência exata, mesmo na mão de grandes mentes como a de Tony Stark. Também vale o destaque de Thor, que traz um pouco do humor visto em Thor: Ragnarok, mas que também finalmente traz o poder do asgardiano, que ficou meio de lado nos dois primeiros filmes solo do personagem. Do lado dos vilões, não poderíamos deixar de citar Josh Brolin. O ator será eternamente lembrado por sua interpretação de um dos maiores vilões, não só da Marvel, não só dos quadrinhos, mas da história do cinema. Um vilão crível, sem ser caricato, um vilão que não tem um plano diabólico, e sim suas motivações. E de um poder incrível, tanto físico, quanto mental. E nesse filme temos um confronto à altura dos heróis e do vilão. Enquanto no primeiro filme Thanos chegou com tudo e desapareceu com metade da população do universo sem muita chance de reação aos heróis, aqui nós temos uma batalha incrível. Em um plot twist envolvendo o plano da viagem do tempo, temos a visita de um Thanos que não é o ser onipotente com as Jóias do Poder, mas sim o conquistador louco, sedento em dominar. E mesmo sem as jóias o Titã Louco mostra seu poderio físico batendo de frente com os heróis, incluindo a Capitã Marvel. Também temos um confronto incrível dos exércitos de Thanos e dos heróis em toda sua potência. Rola até o lema clássico dos Vingadores: Avante Vingadores, à plenos pulmões. Enfim, poderíamos ficar horas e horas falando do filme, mas vamos terminando por aqui. Se lhe resta alguma dúvida de que é o melhor filme do ano, um dos melhores da Marvel, e de super heróis de modo geral, corra para o cinema agora para curtir. Vocês também podem curtir os comentários do filme ponto a ponto em nosso podcast 2D, clicando aqui. E fiquem ligados para mais novidades sobre este e outros filmes aqui mesmo no GamePlay RJ.

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários