Assistimos | Predadores Assassinos

Confira nossa análise completa do filme da Paramount Pictures

Estreou esta semana nos cinemas brasileiros o filme Predadores Assassinos, dirigido por Alexandre Aja e produzido por Sam Raimi. O filme traz uma premissa relativamente simples, mas é bem executado e apesar de ser do genêro terror, traz um roteiro dramático e repleto de ação. Mas vamos começar pela sinopse da Paramount Pictures Brasil:

“Quando um enorme furacão atinge sua cidade natal na Flórida, Haley (Kaya Scodelario) ignora as ordens das autoridades para deixar a cidade e vai em busca de seu pai desaparecido (Barry Pepper). Ao encontrá-lo gravemente ferido, os dois ficam presos na inundação. Enquanto o tempo passa, Haley e seu pai descobrem que o aumento do nível da água é o menor dos seus problemas.”

Quando se assiste o trailer de Predadores Assassinos (Crawl, no original) não vê algo extremamente original. Filmes de ataques animais não são novidade e sempre remetem ao fenomenal Tubarão de Steven Spielberg (de 1975), entre outros. Mas quando surge um grande nome como Sam Raimi na produção, surge uma empolgação maior. O cara nos entregou o clássico de terror Evil Dead (Uma Noite Alucinante por aqui), além de ao menos dois filmes incríveis do Homem Aranha (há quem goste do terceiro. Não julguem). Juntam-se a ele o diretor Alexandre Aja, de Viagem Maldita e Piranha 3D e uma dupla de atores bacana e temos um ótimo filme de terror. Ainda que o filme traga alguns estereótipos e seja necessária uma suspensão de descrença em alguns momentos, ele cumpre o principal papel de um filme de terror. Manter o espectador tenso e grudado na cadeira, perturbado com a situação e claro se assustar. Mas não espere jump scares gratuitos comuns em produções recentes. Aqui a claustrofobia do ambiente, aliado a um terror realista deixa o espectador perturbado o tempo todo. Alie isto a um roteiro dramático trazendo uma relação mal resolvida entre pai e filha e pronto, o espectador seguirá interessado o filme todo. Para fechar, um clima de ação ininterrupta em um longa de duração relativamente curta (menos de 2 horas). Kaya Scodelario (Piratas no Caribe 5, Maze Runner) e Barry Pepper (O Resgate do Soldado Ryan, A Espera de um Milagre), funcionam bem como protagonistas. E o roteiro consegue explicar o que é necessário sem se estender muito. Ela, durona, boa nadadora, mal resolvida com o pai. Ele, o pai divorciado, exigente, também durão e que em algum momento se afastou da filha. E os crocodilos são um espetáculo a parte. Sem apelar para inteligência, estratagemas, ou exageros. São animais, predadores, naturalmente monstruosos. A direção consegue entregar bem o peso, a velocidade, a agilidade e a força dos bichões. Além disso, obviamente, a sua presença, mesmo quando não se vê, em pontos altos do filme. Enfim, acho que estou me delongando demais. Se nosso seguidor gosta de filme de terror, de suspense ou mesmo de thrillers bem conduzidos esta é uma boa pedida para visitar os cinemas no final de semana. Em um genêro que anda desgastado com sequels, prequelsremakesspin offs infinitos, Predadores Assassinos nos entrega uma boa surpresa neste ano que já caminha para o seu final. Fiquem ligados para mais novidades sobre filmes, aqui mesmo, no GamePlay RJ.

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários