Assistimos | My Hero Academia: 2 Heróis

Confira nossa análise sobre o longa de My Hero Academia

Quem é fã de animes como eu já conhece o “esquema” dos longa metragens. Uma história livre, com um vilão e/ou situações inéditas. Acabou e pronto. Felizmente este tempo acabou. Recentemente tivemos a inclusão de Broly no canône no longa de Dragon Ball Super e agora chega My Hero Academia: 2 Heróis. Mas vamos por partes. Para quem não conhece, My Hero Academia se passa em um mundo onde (quase) todas as pessoas possuem superpoderes. Entra em cena o tímido estudante Midoriya Izuku, que teve a infelicidade de nascer sem nenhum dom especial. Grande fã do sorridente All Might, o maior herói desse mundo, Deku (do japonês perdedor, outra maneira de ler os kanjis do seu nome) como é chamado pelos colegas, sofre com a frustração de saber que jamais terá uma individualidade especial para que possa se tornar, assim como seu grande ídolo, em um defensor dos fracos e oprimidos. Porém, um inesperado encontro com seu ídolo All Might irá mudar o destino de Deku. O herói veterano revela que a fonte do seu poder é o One for All, e que ele quer que o garoto seja seu sucessor. A partir daí a história segue a jornada de Deku para desenvolver seus poderes e de seus amigos na U.A., a academia de heróis, onde se passa grande parte da história. O anime é um dos grandes sucessos do genêro nos últimos tempos, o que não poderia ser diferente, afinal une dois mundos incríveis: o anime e os super heróis. E que iniciativa bacana da Cinemark e da Cinepólis de exibir o segundo longa da série nas telonas. No Cinemark, rolou uma sessão ontem, dia 08 de agosto, as 20h e vai rolar outra no dia 13 de agosto as 18:30h. No Cinepólis as sessões começaram ontem e ficam durante o final de semana. Vale a pena consultar a programação da sua cidade. E afinal, valeu mesmo a pena? Primeiro, vamos conferir a sinopse oficial:

“Em My Hero Academia: Dois HeróisDeku e All Might são convidados para I-Expo, a principal exposição mundial de habilidades e de invenções para heróis. Durante o evento, Deku conhece Melissa, uma garota sem habilidades como ele no começo da história. É aí que a I-Expo é invadida por vilões e um plano é posto em ação, que pode ameaçar toda a sociedade de heróis. E agora somente um homem pode deter a ameaça:o poderoso símbolo da paz, All Might”

Eu tive a sorte da minha sessão ser legendada. Agradeço desde já o Cinemark Cuiabá pela exclusividade por aqui. Mas na versão dublada, temos a voz de All Mighty pelo famoso e experiente dublador Guilherme Briggs (Superman, Freakzoid, Optimus Prime) e outros dubladores experientes. O longa traz uma ação incrível desde o começo. Logo de cara já conhecemos mais sobre o passado de All Mighty. E só isso já valeria a sessão para mim. Como eu disse, nunca havia assistido um filme tão relevante e poder assistir na telona foi muito bacana. Mesmo o já citado longa de Dragon Ball Super foi bem cansativo como sempre são os longas. A história de 2 Heróis se passa entre a segunda e terceira temporada da série do anime e todas estão disponíveis no Crunchyroll. Além de Midoriya, todos os seus colegas da U.A. dão as caras na I-Expo. Também é interessante como o universo de My Hero traz umas sacadas bacanas, com os aprendizes de herói se questionando se devem mesmo entrar em ação, pois não tem sua licença ainda. Um mundo bem diferente dos heróis americanos que saem para porrada sem nem pensar nas consequências. E é interessante a criatividade dos dons, os poderes deste universo e como os personagens os utilizam. Mesmo os estereótipos do “rival que é amigo”, do “herói protagonista que depende da força dos amigos” ou do “mestre poderoso inalcançável” não soam cansativos aqui. Ainda que no caso desse último, a dependência do personagem de All Mighty para as tramas do longa e da série em anime é evidente. Mas pensando que se trata de um universo baseado nos super heróis dos comics americanos, não poderia ser diferente. Afinal muitos Homens Aranha (e nunca houve tantos) vem e vão, mas Peter Parker sempre esteve, está e estará lá, firme e forte. Para encerrar minha análise, quem não conhece ainda a série, o filme é um ótimo ponto de partida. Há uma recapitulaçao no começo que esclarece o que o telespectador precisa saber e aí é só diversão. Para quem gosta do anime é imperdível a oportunidade de ver na telona. Com a era do streaming muitas pessoas estão deixando de ir ao cinema. Mas achei muito bacana estar rodeados de fãs que compartilham a paixão por esse grande anime como eu. E para que não conhece o título ou mesmo nunca assistiu um anime, está aí uma ótima oportunidade. Fiquem ligados para mais novidades sobre filmes e anime, a qualquer momento, aqui mesmo, no GamePlay RJ.

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários