Assistimos | Jurassic World: Reino Ameaçado

E chegou a hora de conferir mais um filme da franquia Jurassic Park. Confira nossa análise

Com estréia antecipada no país, Jurassic World: Reino Ameaçado já está disponível na maioria das salas do Brasil. A estréia estava marcada para o dia 21 de Junho mas foi antecipada devido a hype em torno da Copa do Mundo. Como fã da franquia não pude deixar de conferir mais uma incursão da saga iniciada lá nos anos 90, mais especificamente em 1993, quando o filme original chegava em nossas telonas. O novo filme não fica devendo nada a outras sequências da saga, pelo contrário, gostei até mais do que O mundo perdido, sequência de 1997 do primeiro longa. No entanto Jurassic World, primeiro da nova trilogia é mais divertido e leve do que esta sequência, que sem dúvida merece a classificação indicativa de 12 anos. Não que o filme seja extremamente violento, mas ele tem um climão de terror, ao contrário do primeiro que retomava o encanto pelos dinossauros protagonistas da franquia. Mas comparações a parte, vamos a história. Três anos após o fechamento do Jurassic World, um vulcão prestes a entrar em erupção põe em risco a vida na Ilha Nublar. No local não há mais qualquer presença humana, com os dinossauros vivendo livremente. Diante da situação, é preciso tomar uma decisão: deve-se retornar à ilha para salvar os animais ou abandoná-los para uma nova extinção? Eis então que Claire (Bryce Dallas Howard) convoca Owen (Chris Pratt) a retornar à ilha com ela. Como e porque Claire é convocada é uma das boas surpresas do roteiro e não vou entregar spoilers como sempre ao nosso seguidor fiel.

A partir da viagem segue-se um corre corre típico da franquia com vilões caricatos, alguns plot twists bacanas (especialmente um já perto do final) e ação desenfreada. Li alguns comentários do pessoal reclamando do filme. Ah ok, um filme sobre dinossauros recriados no mundo atual já não é absurdo suficiente né? O meu conselho é: se você não gosta da franquia, faça um favor e fique em casa. O roteiro segue uma cartilha padrão desde o filme original. E esse, de novo, trouxe alguma surpresas e digo que até ousou em certos momentos. Lembrem-se disso ao ver a conclusão do filme. Achei bastante interessante e que por sinal remonta ao livro original de Michael Crichton, que já li e recomendo. Há alguns easter eggs que remetem a cenas do original, assim como o filme anterior. Uma das minhas únicas críticas é o desperdício de Jeff Goldblum, que tem apenas uma única grande cena reprisando seu papel do Dr. Ian Malcom. Também são um pouco irritantes e descartáveis os novos coadjuvantes, Franklin Webb (Justice Smith), um analista de sistemas, e a bióloga Zia Rodriguez (Daniella Pineda), que acompanham os protagonistas no retorno à Ilha Nublar. Mas nada que estrague o filme. Bryce Dallas e Chris Pratt estão ainda mais a vontade em seus papéis, ainda que pessoalmente acho que Chris entrou no modo Star Lord e não consegue sair mais. Para quem gosta dos dinos, a velociraptor Blue é incrível, com grande destaque no filme, especialmente na segunda parte e, seguindo a linha da nossa franquia, temos um novo dinossauro. Enfim, não é daqueles filmes para serem levados a sério. Pegue o seu balde de pipoca, compre ingresso para uma sala com telão e sonzão e relaxe por duas horas, entrando nesse universo fantástico mais uma vez. Espero que eles consigam manter interessante para fechar de forma bacana essa nova trilogia. Agradecemos a Universal Pictures pelo convite para a pré estréia.

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários