Assistimos | Bird Box da Netflix

Confira nossa análise completa do lançamento da Netflix

Birdbox é um dos maiores sucessos das produções originais da Netflix. O longa estrelado por Sandra Bullock e grande elenco teve 45 milhões de visualizações em apenas 1 semana de exibição. A maior estréia dentre as suas produções originais, e vale lembrar que estes números são computados com base nas contas, o que não corresponde exatamente ao mesmo número de pessoas que assistiu realmente o filme. E será que o filme é tudo isso mesmo? Quando começaram as divulgações, fiquei cismado por alguns elementos similares ao filme Um lugar silencioso, que me levou a pensar se não seria apenas mais um daqueles filmes whatever como produções anteriores da empresa. Mas a verdade é que realmente o filme é muito interessante. A trama traz Sandra no papel de Malorie Shannon, uma mulher que luta para sobreviver num mundo apocalíptico/distópico ameaçado por criaturas que encarna os maiores medos das vítimas. Para se proteger os humanos passam a usar vendas e trazer pássaros juntos de si que as detectam. A dinamarquesa Susanne Bier dirige o longa, adaptação do livro homônimo de Eric Heisserer. O filme foi descrito por Sandra como “uma jornada sobre a família” na CCXP deste ano quando esteve aqui. O filme começa mostrando Malorie partindo em uma busca, com duas crianças, por um local que não foi afetado pelos eventos que destruíram boa parte do mundo. Atráves de flashbacks entendemos como ela chegou aquela escolha e quem foram as pessoas que permitiram isso. Utilizando uma construção de um grupo de personagens muito bacana, controi-se uma ligação com o espectador imediata com alguma das distintas personalidades. Temos o cético/reclamão/bebum Douglas (John Malkovich), Trevante Rhodes (Moonlight) como o líder nato/homem de ação Tom, a inocência das crianças através do Garoto e a Garota, entre outros. Uma outra grande sacada do filme é que, ao contrário de Um lugar silencioso, nunca vemos as criaturas, o que torna o suspense ainda mais avassalador e o espectador grudado na tela. Quanto aos motivos da situação toda e porque as criaturas fazem isso, seria spoiler e estragar a experiência de nossos seguidores. Os fãs do livro original reclamaram um pouco sobre as diferenças, mas quem nunca, não é mesmo? Mas, do que li por aí, há muitas similaridades e de qualquer modo são mídias diferentes e experiências diferentes. Sandra está sensacional no papel de Malorie. Uma atriz que ficou conhecida por muitas comédias nos anos 90, e que desabrochou em filmes mais recentes como, o vencedor de sete prêmios do Oscar, Gravidade, demonstra toda sua versatilidade e potencial novamente. A atriz alterna muito facilmente entre o drama, ação em mais uma protagonista feminina forte, comum nos filmes dos últimos tempos. E é isso, creio que termino por aqui e recomendo que os fãs de Walking Dead, distopias, ou mesmo um bom suspense assistam esta surpresa bacana que o Netflix nos brindou neste fim de 2018.

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários