Agentes da S.H.I.E.L.D: os quadrinhos da série

Se você curte a série Agentes da S.H.I.E.L.D não pode deixar de conferir os quadrinhos pela Panini

Agentes da S.H.I.E.L.D é um dos grandes acertos em termos de séries de super heróis para a TV. A série criada por Joss Whedon, seu neto Jed Whedon, e Maurissa Tancharoen (de Spartacus, Dollhouse) mostra o dia a dia dos agentes da Superintendência Humana de Intervenção, Espionagem, Logística e Dissuasão. O nome completo traduz bem o espírito da agência da Marvel. São espiões humanos que vivem à margem de um mundo onde os super heróis estão espalhados por todo lugar. E resta a esses homens e mulheres intervir e lidar com os efeitos que os superseres podem causar à sociedade. Além dos heróis e vilões, a agência  também tem que lidar com organizações inimigas como a Hidra, Tentáculo e outros terroristas. Atualmente a série se encontra na quinta temporada, sendo que as 4 primeiras já estão disponíveis no Netflix. Eu já assisti as 3 primeiras temporadas e como Marvete de carteirinha, posso dizer que a série é melhor que muitos filmes do universo cinematográfico da Marvel (MCU). Isto porque ela agrada não apenas aos fãs de quadrinhos, mas também os de espionagem. Apesar de apresentar alguns crossovers com o MCU no começo, a série ganhou identidade própria com roteiros interessantes e cenas de ação muito bacanas. Também conta com participações de vários personagens da Marvel, como os Inumanos, Motoqueiro Fantasma, dentre outros. Recomendo o nosso leitor a dar uma olhadinha, pois realmente vale a pena.

Mas o assunto hoje são os quadrinhos baseados na série. Agradecemos a Panini pelo envio de Agentes da S.H.I.E.L.D.- O Homem Chamado L.E.T.A.L, segundo encadernado da série que foi lançado em Janeiro deste ano. O primeiro foi Tiro Perfeito, lançado em Junho do ano passado. Juntos eles encerram a publicação lançada lá fora sob o título S.H.I.E.L.D. O roteiro fica por conta de Mark Waid, veteraníssimo dos quadrinhos e que dentre suas criações trouxe o maravilhoso Reino do Amanhã (leia nossa análise da edição definitiva, clicando aqui). A arte fica por conta de diferentes artistas.

As histórias da edição são muito bacanas. Achei curiosa a escolha da Marvel ao adaptar alguns personagens da série, como a Harpia e também Quake, para um visual que se assemelha mais a sua versão nos quadrinhos, ainda que os rostos sejam baseados nos atores. Também adaptou algumas situações aparentemente para criar uma cronologia própria nas histórias. Isto fica claro já na primeira história da edição: O Estranho Caso de Daisy Johnson e Mister Hyde, que traz o Dr. Zarbo, pai de uma das agentes. Na série após eventos que não vou dar spoilers aqui, ele meio que se aposenta da vida do crime. Aqui esse fato foi ignorado, mas gerou uma história bacana. Mas ela não é o único destaque da edição. Também vale citar a participação de Howard, o Pato, personagem cósmico e meio underground da editora, que tem como características histórias satíricas e paródias de situações reais e/ou do universo da Marvel. A história traz claramente uma vantagem dos quadrinhos sobre a série. Um orçamento ilimitado, ou seja, diferente da TV, onde certas situações não são possíveis, ou viáveis economicamente, aqui o limite é apenas a imaginação dos criadores. Outro destaque é a participação de Asgard na última história do encadernado. Os deuses asgardianos e sua mitologia já tinham dado as caras na série, dentre eles a participação da guerreira Sif e outras situações. A história que dá título ao encadernado sem dúvida é umas das melhores da edição, já que remonta a própria história da S.H.I.E.L.D e traz uma abordagem bastante interessante da criação da agência. A edição da Panini é competente. Capa dura, papel couché, as capas originais e um extra muito bacana. A história do título do encadernado remete a criação de Nick Fury, um dos principais diretores da S.H.I.E.L.D. e que está presente no MCU na pelo do genial Samuel L. Jackson. O personagem criado por Jack Kirby e Stan Lee em 1963 foi batizado de Sargento Nicholas Fury e era um soldado de elite do exército americano. Dois anos depois, ele foi reformulado (sim, isso não é “privilégio” dos nossos dias) e passou a ser o espião que conhecemos hoje. Um dos seus traços marcantes, abolidos com o tempo devido a politicagem, era fumar um charuto o tempo todo. A ideia de Kirby desde sua criação era justamente ir além e transforma-lo em super agente, o homem chamado L.E.T.A.L (D.E.A.T.H, no original), mas o piloto nas hqs acabou se transformando na primeira série da agência nos quadrinhos, Nick Fury, agente da S.H.I.E.L.D. Enfim, vale a pena conferir essas edições que trazem histórias fechadas, para quem não quer se comprometer com coleções e também para os fãs da série e de filmes de espionagem.

Dados das edições

Agentes da S.H.I.E.L.D – O homem chamado L.E.T.A.L.

Formato 17 x 26 cm, capa dura, lombada quadrada, 140 páginas, R$ 40,00

Para comprar sua edição na Loja Panini clique aqui

Agentes da S.H.I.E.L.D – Tiro Perfeito

Formato 17 x 26 cm, capa dura, lombada quadrada, 148 paginas, R$ 29,90

Para comprar sua edição na Loja Panini, clique aqui

Na loja Panini você também encontra as versões em capas cartonadas, com preço mais acessível, clicando aqui e aqui

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários